Estudo revela propriedades eletromagnéticas da Grande Pirâmide de Gizé

Houve várias descobertas científicas recentes sobre as Grandes Pirâmides de Gizé usando métodos tecnologicamente avançados. 

Por exemplo, uma metodologia que utiliza medições na variação de fluxo de múons (primos pesados ​​do elétron) cósmicos. A chamada de muografia arqueológica, detectou  evidências de uma possível segunda entrada e corredor oculto na Grande Pirâmide de Gizé . Além disso, as imagens térmicas revelaram anomalias térmicas desconcertantes na Grande Pirâmide. Várias explicações foram apresentadas para explicar a causa das anomalias, mas uma explicação particularmente sugestiva foi que isso se deve ao aumento da circulação de ar causado por um corredor ou câmara escondida corroborando achados semelhantes usando análise radiográfica muônica.

Em um estudo , foi relatado no Journal of Applied Physics e diz que as Grandes Pirâmides são capazes de focalizar a energia eletromagnética, particularmente as ondas eletromagnéticas da faixa de radiofrequência. Os pesquisadores descobriram características ressonantes associadas aos momentos dipolo e quadrupolo eletromagnéticos da Pirâmide. 

Especificamente, a análise matemática indicou que os espaços internos e as fundações da estrutura ressoam quando atingidos por ondas de rádio externas com um comprimento de onda de 200 a 600 metros, e podem controlar a propagação, o espalhamento e a concentração dessa energia eletromagnética. Sob essas condições ressonantes, as distribuições do campo eletromagnético dentro da Pirâmide são canalizadas e concentradas nas câmaras da Pirâmide.

Grande Pirâmide de Gizé eletro capa

A concentração ressonante de energia eletromagnética pela Grande Pirâmide de Gizé foi confirmada usando métodos físicos de medição e análise, embora para muitos que estão familiarizados com as Grandes Pirâmides isso não seja totalmente surpreendente. As pirâmides têm muitas características físicas que não são consistentes com o fato de serem “tumbas”. Não menos importante é a engenharia altamente específica dos canais e câmaras dentro das pirâmides, que são capazes de canalizar e concentrar ondas eletromagnéticas e acústicas.

O estudo mais recente oferece evidências intrigantes de um nível profundo de compreensão e capacidades de engenharia tecnológica da civilização que construiu as pirâmides. Os céticos podem sugerir que é apenas uma estranha coincidência, embora as “coincidências anômalas” estejam começando a se somar. No entanto, dada a sofisticação necessária para construir a pirâmide em primeiro lugar, bem como muitas das estruturas antigas em locais circundantes que podem canalizar as ondas sonoras de maneiras notáveis. Talvez não seja tão especulativo pensar que esses antigos construtores entendiam a natureza dos fenômenos das ondas ambientais e eram capazes de manipulá-los e trabalhar com eles usando uma grande construção megalítica.


Fontes: resonancescience |

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top
× .